sexta-feira, 25 de julho de 2014

Pede-me o que quiseres, Pede-me o que quiseres, agora e sempre e Pede-me o que quiseres, ou deixa-me


A minha opinião:

A escrita é simples fluida, magnética e de fácil leitura. Faço logo o meu resumo/opinião dos três livros, da trilogia “Pede-me o que quiseres” Pede-me o que quiseres, agora e sempre” “Pede-me o que quiseres, ou deixa-me”. O enredo transcende a erotismo, sensualidade, mas também a construção de uma história plausível. Estes livros são cheios de emoção, sedução, paixão e dor. A história, transborda a erotismo, eles são sensualidade, luxúria e também um pouco de obscenidade. Recomendo a trilogia, não só um, mas os três livros. Muitas pessoas irão ficar sensibilizadas e melindradas pelas suas cenas de sexo. As pessoas que os forem ler, não devem ter preconceitos, mas sim deixarem-se envolver pela história. A história embora na sua maioria, seja activa e sensual. O romance e a relação são comedidos de muitos momentos de felicidade, carinho, e estabilidade na vida do casal. Mas, de repente também se gera uma instabilidade, um clima de tensão, discussões, rupturas e para terminar com os arrufos, a reconciliação dos personagens. Adorei as capas “Flores”, objecto que a personagem masculina gostava de oferecer, ou talvez por a personagem feminina se chamar “Flores”. Judith Flores (“Flores” o meu nome, por isso logo gostei da personagem :D é uma rapariga espanhola que tem sangue na guelra, ela é forte, determinada, com uma personalidade vincada e com um génio comportamental sólido, madura para a idade que tem e “teimosa como a mãe dela”, dito pelo pai. Destemida, sem medos e pudores, amiga do seu amigo. Judith é secretária na empresa de Eric Zimmerman. Estes não se conhecem pois é a primeira vez que Eric vem à empresa a Espanha, após a morte do pai é ele que fica a gerir todas as multinacionais que tem pelo mundo. Eric Zimmerman é o chefão numa empresa de grande dimensão, ele é viril, vigoroso, dominante, com um físico encantador e com os seus olhos azuis arrebatadores. É soberano e dominador, mas com um passado algo sombrio. Um homem que não deixa qualquer mulher indiferente onde quer que passe. O encontro entre estas duas personagens dá-se num elevador. Sem se conhecerem, acontece logo uma empatia e luxúria entre os dois, tanto que Jud enfia na boca de Eric uma pastilha de morango (mal sabia ela no que se ia meter e quem era este homem lindo que transpirava encanto por todos os poros). Livro que excita, alvoraça mas, também faz chorar. E quem gosta de animais como eu, vão-se sentir tristes com a doença e morte de Curro (gato). Adorei todas as partes referentes às canções, mas não posso deixar de salientar as canções “Blanco y negro” de Malú e "Se nos dejan" de Luis Miguel que não conhecia, mas me cativaram.  
Como se costuma dizer e bem e este livro assim o refere, "os opostos atraem-se" e rapidamente se envolvem. Não estamos num caso de dominador/submissa como na trilogia das “Cinquenta sombras”. Rapidamente poderemos ver que Jud é tudo menos submissa, ela foge, desaparece e está semanas sem nada dizer onde está ou deixa de estar. Eric de gostos sexuais peculiares e algo diferente dos normais, gosta de jogar com o sexo, mas rapidamente Judith se deixa levar pelo gosto dos jogos. Virá ela a ser “perigosa”? Novamente faço reparo aqui às “Cinquenta sombras”, tanto Eric como Christian, gostam de jogar, mas jogos diferentes. Eric gosta de jogar com Judith, mas com companhia, (gosta de a oferecer), mas sem “sado”, já Christian joga só com Anastasia mas com “sado” à mistura. As cenas não me chocaram, mas talvez por diversas vezes tivesse ficado encalorada “calor muito calor” como diz Judith :D Mas como Eric “Iceman” por vezes é um homem frio e distante, já Judith é quente e amável. As personagens eram maduras e senhoras de si. Jud nunca deu a sensação de ter medo de entrar nos jogos. Judith tem uma irmã mais velha Raquel. Mas por vezes parecia ela a irmã mais velha, pois era mais racional. Judith depois de se despedir da empresa Muller, decide afastar-se definitivamente de Eric, então decide refugiar-se em Jerez na casa do pai. Mas os pensamentos dela recaem sempre em Eric, não o consegue esquecer, embora tente com Fernando. O pai ao ver a angústia e o mal-estar da filha decide avisar Eric de onde ela se encontra. Judith depois de ter feito as pazes com Eric, os jogos e as fantasias sexuais estão mais intensos do que nunca. Eric tem de voltar urgentemente para a Alemanha mas quer que Judith vá viver com ele. É aí que ela vai encontrar um obstáculo, (e dos grandes) Flyn o sobrinho “chinês” de Eric. Flyn era um garoto frio e amargo, não queria dividir o tio com ninguém e aí começam as dificuldades de Judith, dar a volta ao pestinha, fazer dele um menino de 9 anos e não um “velho prematuro” que é o que mais parece (será que vai conseguir?). Aqui também começa o ciúme, as fantasias mais ousadas, a tensão, as histórias mal contadas e os segredos. Ao chegar a casa já de noite e a nevar imenso, ao pé do portão e atrás de uns caixotes de lixo, estavam uns olhos brilhantes e esbugalhados a olhar para ela. Apanhou um grande “Susto” . Susto um cãozinho sujo e abandonado por quem Judith se vai apaixonar. Uma amante de animais. Mas ainda muita tinta vai correr na vida de Susto. De cada vez que era apresentada aos amigos de Eric, logo se ouvia “Olé, touro, paella” “Olé, touro, castanholas” “Olé, touro…….” 

Este segundo livro não só se foca no sexo, mas também noutras situações da actualidade, tais como o bulling a que Flyn é sujeito pelos “amigos” no colégio. Quem descobre esta situação é Judith. Deixará Flyn que Judith o ajude? Fiquei extasiada com este segundo, pois pensava que iria na sequência do primeiro, mas surpreendeu-me pela positiva, com tantos conflitos, dei por mim a pedir que acabasse em bem. Uma história com um enredo que me fascinou. Judith cativou-me no primeiro, voltou a cativar-me no segundo pelo seu carácter forte e humano. Uma pessoa que irradia calor e sedução, pois todos os homens a achavam linda e vigorosa. Dexter chamava-lhe “Deusa”. Mais segura de si, já joga e comanda o jogo. Dei por mim a chorar neste livro, aquando da separação deles, a volta de Jud para Espanha e, Eric quando reúne toda a família para a pedir em casamento. Mas como eu costumo dizer depois da tempestade vem a bonança e aí vamos ter o casamento destes dois que não podem viver um sem o outro. 

O terceiro tenho as expectativas em alta começa com a lua-de-mel de Eric e de Judith nas Riviera Maia, descanso, prazer, lazer, luxúria, sol e mar. Sem discussões, mas sempre com os ciúmes no ar. Tudo corre às mil maravilhas para Eric e Judith que não pensam em outra coisa senão em sexo. Antes de regressarem a casa, dão um salto ao México, a casa do mexicano Dexter e agora já é Judith que logo que vê Dexter, quer jogar. Aqui conhecemos também Graciela secretária de Dexter e apaixonada às escondidas por este. Agora já casados e mais responsáveis, este livro dá maior ênfase a outras personagens, tais como Raquel (irmã de Judith), Dexter e Graciela. Eric e Judith depois do casamento e da lua-de-mel virá a bonança, ou mais sobressaltos se lhes vão deparar? Conseguirá o amor destes dois resistir a mais tormentas. Flyn deixará a felicidade destes dois acontecer? Os ciúmes e o desejo constante de a proteger, arruinarão a vida deste casal que não consegue viver um sem o outro? Judith, depois de ter presenciado o nascimento da sobrinha, jurou não querer filhos. Irá Eric lidar bem com esta situação? Judith começa então o seu papel de casamenteira. Mesmo depois de casados, os amigos continuam dentro e fora do quarto. Em pleno Agosto em Espanha faz imenso calor. Judith quer experimentar novos jogos testar os seus limites e cada vez mais ousados. Mas quanto mais ousados e destemidos, mais cúmplices ficam um do outro. Este livro terminará cheio de emoção, paixão, alegria e felicidade ou algo ensombrará a felicidade do casal? Ao longo da história contemplamos o desenvolvimento e a maturidade dos personagens. Destaco a força e determinação de Judith Flores O erotismo, a sensualidade e a sexualidade vão estar sempre presentes no decorrer da história Irá a autora e a Planeta presentear-nos com o livro de Bjorn????? E não é que descobri o grupo no facebook das Guerreiras Maxwell!!!!!!! “LAS GUERRERAS MAXWELL” já pertenço ao grupo :D aqui vos deixo o link para vocês aderirem ou não!! 





Megan Maxwell é uma reconhecida e prolífica escritora do género romântico. Filha de mãe espanhola e pai americano, publicou vários romances.
Em 2010 ganhou o Premio Internacional Seseña de Novela Romántica; em 2010, 2011 e 2012 recebeu o Premio Dama de Clubromantica.com; e em 2013 o «AURA», galardão outorgado pelo «Encuentro Yo Leo RA» (Romântica Adulta).
Vive numa encantadora aldeia nos arredores de Madrid, na companhia do marido, dos filhos, do cão Drako e do gato Romeo.


Sem comentários:

Enviar um comentário